sexta-feira, 22 de março de 2013

Adorar Jesus na Santa Comunhão até com o Corpo? Ham?

Ave Maria Imaculada. Então irmãos, estejamos com o coração aberto para ler esse texto e deixar assim que ele fecunde o mais profundo do nosso coração e de nossa alma. Acrescento que não serão palavras do Cleven, ou visões particulares, mas sim a vida de quem me convence, a cada dia mais com seus exemplos, certezas e vidas: os SANTOS. 
A venerável Catarina Vannini via, em êxtase, os Anjos que, durante a Missa, circundavam as mãos do Sacerdote e as sustentavam no momento da elevação da Hóstia e do cálice. Poderemos imaginar com que respeito e afecto a Venerável beijava aquelas mãos?   Santa Edwirges, rainha, cada manhã assistia a todas as Santas Missas que eram celebradas na capela da Corte, mostrando-se muito agradecida e reverente para com os Sacerdotes que tinham celebrado: convidava-os entrar, beijava suas mãos com suma devoção, fazia que se alimentassem, tratando-os com as mais distintas honras. Ouvia-se como a rainha exclamava comovida: "Bendito seja quem fez Jesus descer do Céu e O deu a mim."   S. Pascoal Baylon era o porteiro do convento. Todas as vezes que chegava um Sacerdote, o Santo Fradinho se ajoelhava e lhe beijava respeitosamente as duas mãos. Dele foi dito, como de S. Francisco, que "era devoto das mãos consagradas dos Sacerdotes." Ele as julgava capazes de deter longe os males e cumular de bens a quem nelas tocasse com veneração, porque são as mãos das quais Jesus se serve. " Primeiro o Sacerdote, depois o Anjo "   "Cada vez que virdes um Sacerdote - ensinava o Santo Cura d'Ars - pensai em Jesus." Santa Maria Madalena de Pazzi, de fato, falando de qualquer Sacerdote, costumava dizer: "este Jesus." E é por isso que Santa Catarina de Sena e Santa Teresa de Jesus beijavam a terra onde tivesse passado um Sacerdote. E, ainda mais, Santa Verônica Giuliane, certo dia, tendo visto o Sacerdote subir pela escada do mosteiro para ir levar a Santa Comunhão às enfermas, ajoelhou-se ao pé da escadaria, e foi subindo de joelhos pelos degraus, beijando-os um por um, e banhando-se com lágrimas de amor. Quando se tem amor!..   "Se eu me encontrasse - dizia o Santo Cura d'Ars - com um Sacerdote e com um Anjo, saudaria primeiro o Sacerdote, e depois o Anjo... senão tivéssemos o Sacerdote, de nada nos valeria a Paixão e a Morte de Jesus... Para que serviria um escrínio cheio de jóias de ouro, se não houvesse alguém para abri-lo? O Sacerdote é que tem a chave dos tesouros celestes.   .."Quem é que faz Jesus descer nas cândidas hóstias? Quem é que coloca Jesus em nossos sacrários? Quem é que dá Jesus às nossas almas? Quem é que purifica os nossos corações, para que possamos receber a Jesus?... O Sacerdote, só o Sacerdote. Ele é o "Ministro do Tabernáculo"(Hbr.13,10), é o "Ministro da Reconciliação"(2Cor.5,18), é o "Ministro de Jesus para os irmãos"(C1.1,7), é o "Dispensador dos mistérios Divinos"(1Cor.4,1). E, quantos episódios não poderiam ser narrados de Sacerdotes heróicos em sacrificar-se a si mesmos para dar Jesus aos irmãos! Façamos referência a um deles entre muitos outros.   Por isso é que o Pe. Pio de Pietralcina dizia: "O Sacerdote, ou é um Santo, ou é um demônio." Ou santifica, ou arruína. E que desastre incalculável não provoca o Sacerdote que profana a sua vocação com um comportamento indigno, ou que a calca aos pés de uma vez, ao negar o seu estado de consagrado e eleito do Senhor? (Jo. 15,16)   S. João Bosco dizia que: "Um Padre, ao Paraíso ou ao inferno nunca vai sozinho: vão sempre com ele almas em grande número, ou salvas pelo seu santo ministério e com o seu bom exemplo, ou perdidas pela sua negligencia no cumprimento dos próprios deveres e pelos seus maus exemplos."   Rezemos por eles Sabe-se que Santa Teresinha, a angélica carmelita, fez sua última Comunhão, antes de morrer, por esta sublime intenção: obter a volta de um Sacerdote transviado, que havia renegado a sua vocação. E sabe-se que aquele Sacerdote morreu arrependido, invocando o nome de Jesus. Sabemos que são raras as almas, especialmente as virginais, que se ofereceram vítimas pelos Sacerdotes. São almas prediletas de Jesus, e de um modo absolutamente singular. Mas rezemos nós também, e ofereçamos também os nossos sacrifícios pelos Sacerdotes, pelos que estão em perigo, pelos mais fortes, pelos transviados e pelos já adiantados na perfeição.   

De modo particular, todas as vezes que virmos um Sacerdote ao altar, rezemos nós também a Nossa Senhora com as palavras do venerável Carlos Jacinto: "Ó querida Nossa Senhora, emprestai o vosso Coração àquele Sacerdote, afim de que ele possa celebrar dignamente." Rezemos nós também, como Santa Terezinha, para que os Sacerdotes ao altar toquem no Corpo Santíssimo de Jesus com a mesma pureza e delicadeza com que nele tocou Nossa Senhora. Melhor ainda, rezemos para que cada Sacerdote possa fazer como S. Caetano, que se preparava para a celebração da Santa Missa, unindo-se tão intimamente a Maria Santíssima, que dele diziam: "ele celebra a Missa como se fosse ela." E, na verdade, como Nossa Senhora tomou Jesus em Suas mãos em Belém, assim o Sacerdote recebe Jesus em suas mãos na Santa Missa.   Como Nossa Senhora ofereceu Jesus vítima sobre o Calvário assim o Sacerdote oferece o Cordeiro imolado no altar. Como Nossa Senhora deu Jesus à humanidade, assim o Sacerdote nos dá Jesus na Santa Comunhão. Bem diz, pois, S. Boaventura: "Cada Sacerdote no altar deveria ser inteiramente identificado com Nossa Senhora, porque como por meio d'Ela é que nos foi dado esta Santíssimo Corpo, assim é pelas mãos dele que ele deve ser oferecido a nós." E S. Francisco de Assis dizia que Nossa Senhora representa para todos os Sacerdotes um espelho para sua santidade, por causa da estreita proximidade, que há entre a Encarnação do Verbo no seio de Maria e a Consagração eucarística entre as mãos dos Sacerdotes.   Aprendamos também nós na escola dos Santos a respeitar e a venerar os sacerdotes, a rezar pela sua santificação, a ajudá-los em sua altíssima missão.   Sacrilégio, um pecado horroroso A este propósito, é bom recordar o ensinamento da Igreja. A Santa Comunhão deve ser feita por nós em estado de graça. por isso, se tivermos cometido um pecado mortal, ainda que já estivermos arrependidos e sintamos um grande desejo de comungar, é necessário e indispensável que nos confessemos antes de irmos comungar, pois, do contrário, cometeríamos um gravíssimo pecado de sacrilégio, para o qual, como disse Jesus a Santa Brígida, "não existe na Terra um suplício que seja suficiente para puni-lo." Santo Ambrósio dizia que os sacrilégios "vão para a igreja com poucos pecados, e saem de lá com muitos." E S. Cirilo escrevia estas palavras ainda mais fortes: "Quem faz uma Comunhão sacrílega, recebe  em seu coração a satanás e a Jesus Cristo; a satanás, para fazê-lo reinar, e a Jesus Cristo para oferecê-lo em sacrifício a satanás."   Com as Mãos de Nossa Senhora Quem poderia dizer qual a delicadeza dos Santos para com as espécies Eucarísticas? Firme era a sua fé na presença Real de Jesus até nos menores fragmentos da Hóstias. Bastava ver o Pe. Pio, com que delicadeza fineza purificava a patena e os vasos sagrados no altar; podia-se ver a adoração em seu rosto! Aquela vez que Santa Teresinha viu um pequeno fragmento da Hóstia sobre a patena, depois da Missa, ela chamou a noviças e, em procissão, levou para a sacristia a patena, com uma graça e uma adoração verdadeiramente angelicais. E Santa Teresa Margarida, tendo encontrado um fragmento de Hóstia no chão perto do altar, desfez-se em pranto por pensar que alguma irreverência tivesse sido cometida contra Jesus, e se pôs em adoração ao lado do fragmento, até que chegasse um Sacerdote para recolhê-lo e colocá-lo no Sacrário.   Certa vez aconteceu a S. Carlos Borromeu, enquanto estava distribuindo a Comunhão, ter caído de sua mão uma partícula que ele percebesse. O Santo se considerou culpável de grave irreverência contra Jesus, e por isso sofreu tanto, que, durante quatro dias, não teve coragem de ir celebrar a Santa Missa, e impôs a si mesmo a penitência de oito dias de jejum. 

Que dizer de S. Francisco Xavier que, às vezes, ao distribuir a Santa Comunhão, se sentia tomado de surpresa por um tal sentimento de adoração para com Jesus, que estava em suas mãos, que se punha de joelhos quando dava a Comunhão ao fiéis. Não era aquilo um espectáculo de fé e de amor digno do Céu?   Mais fino era ainda o tacto dos Santos Sacerdotes, ao tocarem na Santíssima Eucaristia. Como não teriam eles desejado ter aquelas mesmas mãos virginais da Imaculada? A S. Conrado de Constança acontecia que os dedos indicadores e polegares lhe ficavam luminosos de noite, por causa da fé e do amor com que ele fazia uso daqueles dedos, ao tocar no Corpo Santíssimo de Jesus.   S. José de Copertino, o Santo extático, que voava como um Anjo, revelava a sua fina delicadeza de amor a Jesus, quando dizia ser seu desejo ter mais um par de indicadores e polegares para poder usar só para tocar na Carne Santíssima de Jesus. e o Pe. Pio de Pietralcina às vezes sentia dificuldade para tomar entre os seus dedos a Hóstia Santa, julgando-se indigno de tocar nela com suas mãos "estigmatizadas" (Que diríamos hoje, da lamentável leviandade com a qual se procura introduzir por toda parte a Comunhão colocada na mão, em vez de na língua? Aos olhos dos Santos, tão humildes e angelicais, não ficaríamos fazendo a figura de uns tipos grosseiros e presunçosos?)   Igualmente, os Santos sempre têm recomendado, com seu exemplo e sua palavra, a angélica compostura com que se deve entrar na Igreja, fazendo devotamente o Sinal-da-Cruz com água benta, indo ajoelhar-se piedosamente e, antes de qualquer outra coisa, indo adorar a Jesus no sacramento, unindo-nos aos Anjos e aos Santos que estão ao redor dele. se nos pomos em oração, precisamos recolher-nos com cuidado para conservar-nos com atenção e devoção: também é bom aproximar-nos o mais que pudermos do altar do Santíssimo Sacramento, pois o Beato João Duns Scot demonstrou que a influencia física da Humanidade Santíssima de Jesus é tanto mais intensa, quanto mais perto estivermos do Seu Corpo e do Seu Sangue. (Santa Gema Galgani, de fato dizia que às vezes não lhe era possível aproximar-se mais do altar do Santíssimo, porque sentia acender-se em seu coração um tal fogo de amor, que chegava a chamuscar as vestes sobre o peito).   Eu vos restaurarei Na Eucaristia Jesus repete os Seus amorosos chamados feitos a nós que estamos cansados pelos trabalhos e sofrimentos neste vale de lágrimas "Vinde a Mim, vós que estais cansados e oprimidos, e Eu vos restaurarei" (Mt.21,28) É verdade que "a vida do homem é uma luta sobre esta Terra" (Job. 7,1); é verdade que os seguidores de Jesus Cristo "serão perseguidos", como foi o seu Senhor (Mt.5,10; 2Tim.3,12); é verdade que "aqueles que são de Cristo crucificaram sua carne com seus vícios e concupiscências" (Gl.6,34). Mas também é verdade que com Jesus "eu posso tudo" (Fl.4,13) porque Jesus é "tudo" (Jo.1,3) e na Santa Comunhão chega a fazer-se "todo meu."    E, então, "que tenho a temer? - posso dizer com a serva de Deus, Luísa m. Claret de lá Tonch - aquele que matem o mundo em seus pólos está em mim. O Sangue de um Deus circula em minhas veias. Não temas, minha alma! O Senhor do mundo te tomou em seus braços e quer que repouses nele!" Por isso é que S. Vicente de Paulo podia perguntar ais seus missionários: "Quando recebestes Jesus em vossos corações, poderá haver ainda algum sacrifício impossível para vós?"    E S. Vicente Ferrer, nos dois anos que teve que passar no cárcere, quando perseguido "superabundou de alegria os seus sofrimentos" (2Cor.7,4), porque conseguiu a licença de poder celebrar cada dia a Santa Missa entre os grilhões, as correntes e as obscuridade da prisão.   Essa mesma força e alegria invadiram a alma de Santa Joana d'Arc, quando lhe foi permitido receber Jesus Eucarístico antes de subir na fogueira. Quando Jesus entrou no escuro cárcere, a Santa se pôs de joelhos entre as correntes, recebeu a Jesus, e se pôs em profunda oração. E, mal tinha sido chamada para caminhar para a morte, levantou-se e foi andando, sem parar sua oração, e subiu a fogueira, morrendo entre as chamas, sempre unida a Jesus que estava em sua alma e em seu corpo já imolado.   Tirado do livro: "Jesus nosso amor Eucarístico. Autor: Padre Stefano Maria Manelli"     

Sigamos o Papa! A irmã Lúcia disse que: "Quem quiser estar com Deus, tem que estar com o Papa." Sigamos também o exemplo dos Pastorinhos de Fátima, bem como todos os Santos da Igreja, que sempre comungaram de joelhos e na boca. Mas, porque a responsabilidade também é nossa, temos de ser nós a lutar para modificar as coisas, para podermos ser aquele pequeno número que ficará até ao fim... Juntemo-nos, e oremos para que a cada dia mais seja espalhada e vivida a Piedade e o amor para com Jesus na Santa Eucaristia!!!

Fonte: Equipe Missionária Mendigos de Cristo - Cleven Rodrigues

terça-feira, 24 de abril de 2012

Será que sou Católico... De Verdade?

É meu caro, essa pergunta deve ser feita por TODOS que tem por pretensão serem católicos. Hoje vou ser bem direto ao tratar desse assunto tão sério. Mas, antes de me perguntar se sou mesmo Católico, nos façamos outra pergunta: Eu sei o que é ser Católico DE VERDADE?
Vamos lá: Falar um pouco da parte histórica: (faz bem saber “detalhes” da nossa Fé) A palavra “católico” é um adjetivo da língua grega que corresponde respectivamente a: katolikós, katoliká, katolikón. O significado de católico é: universal. Ou seja, quer indicar que o cristianismo deve ser universal, abranger todos os povos de toda a terra e de todos os tempos.
Quero também desde começo, afirmar que a nossa Santa Igreja Católica é a única que tem todos os sacramentos instituídos por Jesus. Existem ainda outras igrejas (não seitas) que possuem alguns elementos de salvação (que adquiriram da Católica), mas só a igreja Católica possui TODOS, é a única que celebra e tem a verdadeira Santa Ceia, Jesus Cristo Vivo na Eucaristia. (Conforme foi determinado pelo próprio Jesus).
Vejo pessoas indo de porta em porta levando explicações torpes da Palavra de Deus, e o mais triste disso é ver católicos dando ouvidos a esses falsos profetas. Não estou falando para destratar ninguém ou ser mal educado. Mas se necessário, recebê-lo com amor e fazê-lo entender que a Igreja Católica prega o Verdadeiro Evangelho de Jesus há 2012 anos. Irmãos a palavra é cheia de exemplos que falam sobre essas pessoas que buscam abater sua Igreja. (Não vou me atentar muito nessa parte, quem quiser aprimorar o assunto sobre a verdadeira religião, já tenho um texto sobre isso:
http://clevennen.blogspot.com.br/2011/09/igreja-certa-pedro-papa-ham.html)

Irmãos, nós precisamos conhecer a toda Igreja e assim conhecer a Verdadeira Verdade. Sem a verdade não há salvação. E essa verdade foi confiada à Igreja: "Todavia, se eu tardar, quero que saibas como deves portar-te na casa de Deus, que é a Igreja de Deus vivo, coluna e sustentáculo da verdade" (1Tm 3,15). Jesus garantiu aos Apóstolos na Última Ceia que o Espírito Santo "ensinar-vos-á toda a verdade" (Jo 16, 13) e "relembrar-vos-á tudo o que lhe ensinei" (Jo 14, 25). Portanto, se o povo não conhecer esta "verdade que salva", ensinada pela Igreja, não poderá vivê-la. Mas importa que essa mesma verdade não seja falsificada, e sim que seja ensinada como recomenda o Magistério da Igreja, que recebeu de Cristo a infalibilidade para ensinar as verdades da fé (cf. Catecismo da Igreja Católica § 981).
É uma vergonha ver que muitos crêem mais na televisão do que no próprio Evangelho. Assim também muito se fala (negativamente) da Igreja Católica por ignorância, ou buscando semear a discórdia entre os homens. Saibam que foi a Igreja Católica que guardou e dividiu a Bíblia em capítulos e versículos para facilitar a leitura e a pesquisa. O católico tem o dever de conhecer sua igreja para que não seja enganado pelo fermento dos fariseus no dia a dia (Lc 12, 1 “Tomem cuidado com o fermento dos fariseus, que é a hipocrisia”). 
E infelizmente não é difícil encontrar no nosso dia-a-dia e até mesmo dentro de nossa Igreja, cristãos que em vez de serem Católicos, isto é, aceitar todo o Evangelho, são cristãos “caóticos”. Fazem uma mistura de tudo e faz uma religião para as suas conveniências, pegando aqui e ali meias veridicidades e querendo criar um jeito católico de ser e como diz o Pe. Fabrício Andrade: Jesus que se converta. Fica uma coisa mesmo muito caótica: É católico, umbandista, cientificista, espiritualista, esotérico, maçônico e por aí vai. É essa a religião que o Senhor nos deixou e ensinou? Certeza que NÃO!
Outro tipo de católico “original”, que é comum se ver são os que ao invés de serem católicos Apostólicos são os católicos “apostáticos”, em vez de ficar com essa Igreja Una e Santa, ele “apostando”, num sincretismo religioso, numa mistura de religiões ou fantasias religiosas, em superstições, entre outras que são contrárias ao Evangelho. Assim, de manhã, o “apostático” aposta na missa, ao meio dia, aposta no horóscopo. Ao anoitecer vai ler uns livros de auto-ajuda e predição...
E por fim os de deixam se ser Romanos para serem “Românticos”. É isso mesmo, são os cristãos que lêem o Evangelho, concordando com umas coisas que Jesus disse e não con­cordando com outras que o mesmo Jesus disse. Os famosos “Eu acho”, “eu não acho”, como se cristianismo fosse esse “achismo”.
Sei bem que não é fácil a renuncia de coisas que às vezes aprendemos a usar, gostar. Porém, ser cristão é isso. É olhar pra Cruz e seguir em frente. Vamos lembrar as promessas e propostas do nosso Batismo! E onde fica a Crisma com o Espírito Santo, exigindo uma vida coerente com o Evangelho e com a Igreja? Demos o Sim ao Senhor ou aos nossos caprichos?!
Ser católico é ser solidário, é AMAR, é viver feliz! De que serve dizermos que somos isto e aquilo se no final não nos alimentamos da palavra do Senhor, e na grande celebração que é a eucaristia em que deveríamos comungar de coração aberto, incontáveis vezes sequer compreendermos a importância que tem o corpo do Senhor. Não te digas católico se realmente não acreditas. Ser católico não é um hobby, é uma paixão, é uma forma de viver e amar incondicionalmente, ser católico é dizer SIM.
Vou retomar a pergunta: Será que sou Católico?
Acredito e Amo Jesus na Santa Eucaristia? Conheço, amo e creio na Igreja? Dogmas? Doutrina? Papa? Santos? Nossa Mãe Maria Imaculada? Sacramentos? Autenticidade?
Não existe católico de verdade se não existir ardor, amor, sede, amizade, zelo pela Santa Eucaristia, que é o próprio Cristo Rei em nosso meio. Ele é nossa força, nosso tudo, nosso destino, nosso sentido, nosso ÚNICO Senhor. Também não existe católico de verdade, se não existir amor por Maria, pelo Papa (Nosso Pedro), pelos nossos Santos, pela nossa história, doutrina e tudo que a Igreja nos trás.
Devemos amar o próximo e muito, porém, não podemos de forma alguma negar ou passar por cima das Verdades da nossa Fé para agradar alguém. Preciso Amar primeiro a Deus e isso não é errado nem exclusivismo, uma vez que só saberei amar se aprender com o verdadeiro Inventor do Amor. Ouvi um Padre pregando uma vez e achei interessante colocar essa parte: “SE UM DIA EU TIVER A GRAÇA DE MORRER PELO EVANGELHO, EU NÃO VOU MORRER PELO MEU EVANGELHO, MAS PELO EVANGELHO DE JESUS, PELA VERDADE REVELADA DA IGREJA. A VERDADE, O ANÚNCIO DO EVANGELHO EM SUA PLENITUDE, É QUE ATRAI PARA A IGREJA A SUA AUTENTICIDADE”.
Não posso deixar de citar e frisar para nós todos, o que nosso Santo Papa nos trás: que a “Catolicidade não pode existir sem uma atitude mariana”, afirmou, recordando que “ser católicos quer dizer ser marianos, que isso significa o amor pela Mãe, que na Mãe e pela Mãe encontramos o Senhor”.
O Papa disse que “Maria é a grande crente” que indica a todos “o caminho da fé, a coragem de confiar-nos a esse Deus que se dá em nossas mãos, a alegria de ser testemunhas, e depois, sua determinação de permanecer firme quando todos fogem, a coragem de estar do lado do Senhor quando tudo parecia perdido. Precisamos ser Homens e Mulheres que amam o Senhor, através de Maria. Seguir o exemplo de João, um discípulo que é incontestavelmente Mariano, e dar testemunho do Senhor nas horas difíceis e nas felizes; precisamos estar com Ele aos pés da Cruz.
"Meu povo se perde por falta de conhecimento" (Os 4,6)
“Só Amamos aquilo que conhecemos” (Santo Agostinho)

Vamos buscar conhecer e assim amar os mistérios de Cristo. Se necessário doar a vida para defender Nosso Senhor e sua morada. Estar na hora de buscarmos amadurecer na fé, na vida cristã, nos pensamentos, nos atos, no amor, na verdade. Olha o que nos diz a bíblia sobre isso: "Ora, quem se alimenta de leite não é capaz de compreender uma doutrina profunda, porque é ainda criança. Mas o alimento sólido é para os adultos, para aqueles que a experiência já exercitou na distinção do bem e do mal" (Hb 5, 13-14). Sem esse "alimento sólido", que a Igreja chama de "fidei depositum" (o depósito da fé), ninguém poderá ser verdadeiramente católico e autêntico seguidor de Jesus Cristo. Não há dúvida de que a maior necessidade do povo católico hoje é a formação na doutrina. Por não a conhecer bem, esse mesmo povo, muitas vezes, vive sua espiritualidade, mas acaba procedendo como não católico, aceitando e vivendo, por vezes, de maneira diferente do que a Igreja ensina. E o pior de tudo é que se deixa enganar pelas seitas, igrejinhas e superstições.

Também, há um tempo, li um texto do qual o Padre narrava um dialogo dele e um confessor, que falou para o padre que a história da Igreja tem tantas coisas erradas... A resposta Sábia do sacerdote foi: “PORQUE NÓS O FIZEMOS, PORQUE NÓS MACULAMOS A IGREJA. MAS A SANTIDADE DA IGREJA OFUSCA AS PESSOAS, QUANDO ELA É VIVIDA POR AQUELES QUE AMAM A JESUS”.
Amados, encontrar Jesus em outro lugar não é conversão é divisão! Se crer que Jesus é seu Senhor e seu Salvador, não importa o que aconteça jamais serão seduzidos pelo espírito de divisão que busca enfraquecer o projeto de evangelização instituído por Jesus, “Mantenham-se de acordo uns com os outros, para que não haja divisões”. (1 Cor 1, 10).
 Quero dar um exemplo: (gosto disso) Seu time de futebol pode estar na terceira divisão, à diretoria pode estar envolvida em corrupção, o presidente pode fazer qualquer equívoco, e você continua fiel a ele, se mudar é vira folha, não é!? Entretanto, na Igreja por qualquer motivo, por mais banal que seja, você logo quer mudar dela ou sair... Será que seu time de futebol (ou outra coisa que se encaixe) é mais importante que a igreja de Jesus? Ham?
 Sendo sincero, só sai da Santa Una Igreja Católica quem por ignorância, desconhecer sua história, sua veracidade e sua doutrina apostólica.
Como diz o pregador Anderson Luis: “Católico Ignorante futuro Protestante”, porém, temos o consolo: “Católico com Maria o inferno se arrepia”.

Irmãos, não basta ser católico, tem que ser
CATÓLICO DE VERDADE.
Vamos rezar???

O Maria Santíssima, tu que és Mãe de Deus e nossa mãe, tu que és exemplo, tu que soube dar o sim antes, durante e depois, tu que és cheia do Espírito Santo, tu mãezinha que Amava verdadeiramente de toda sua alma a seu filho, ensina-nos a sermos constantes, firmes, corajosos, escravos no Amor e na Verdade! Amém

Cleven NeN

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Missa. Estou fazendo certo?

Diante de um assunto tão complexo, cito que para melhor entendimento leiam o Redemptionis Sacramentum (Documento do Vaticano sobre a Santa Eucaristia).
Irmão é importante logo de principio você saber que a liturgia da Santa Missa não é totalmente rígida ao missal. Há algumas situações dadas principalmente para que se respeite o costume do lugar. Mas isso só é permitido a partir da autorização do ordinário local (bispo/arcebispo) e por deliberação da Conferência Episcopal. Mas isso não significa, JAMAIS, que se pode desrespeitar o que está explícito no missal com a desculpa de agradar a algum regionalismo, até porque, para atuar nessas margens, a Conferência Episcopal precisa de autorização expressa da Sé Apostólica.
Então, alguns costumes que vemos nas missas, pode ou não ter alguma referência no
IGMR (Instrução Geral do Missal Romano) e assim podem ou não serem permitidos pela Santa Sé. Por isso temos que conhecer pra sabermos o que é certo ou errado sem precipitação.
Existem alguns erros e “abusos” que sem dúvidas, contribuem para ofuscar a correta fé e a Santa doutrina Católica sobre este admirável Sacramento. Temos que tomar cuidado, pois esses erros podem de algum modo nos afastar de viver novamente a experiência dos discípulos de Emaús: “Então se lhes abriram os olhos e o reconheceram” (Lc 24:31).  Vamos à aula de catecismo?! Dentro do “Primeiro Catecismo da Doutrina Cristã” (Vozes, 145ª Edição, Petrópolis, 2005), que as crianças estudam. Ou melhor, deveriam estudar antes de fazer a Primeira Comunhão. Questão nº 139: O que é a missa? Resposta: “A missa é o sacrifício incruento do corpo e do sangue de Jesus Cristo, oferecido sobre os nossos altares, debaixo das aparências de pão e de vinho, em memória do sacrifício da cruz”.
O que é o abuso litúrgico? Pra simplificar: abuso litúrgico é antes de tudo uma falsificação da liturgia católica, no dizer da Instrução Redemptionis Sacramentum. Pois todo católico tem o direito de ver celebrada a sagrada liturgia sem improvisações, sem experimentação, de acordo com as normas estabelecidas pela Santa Sé. “Coerentemente com o que prometeram no rito da sagrada Ordenação e cada ano renovam dentro da Missa Crismal, os presbíteros presidam, com piedade e fidelidade, a celebração dos mistérios de Cristo, especialmente o Sacrifício da Eucaristia e o sacramento da reconciliação. Não esvaziem o próprio ministério de seu significado profundo, deformando de maneira arbitrária a celebração litúrgica, seja com mudanças, com mutilações ou com acréscimos” (RS 31). (A Igreja, portanto, proíbe aos padres “mudanças”, “mutilações” ou “acréscimos” na celebração litúrgica) Esse direito reclama dos presbíteros e também dos demais fieis o dever de observar rigorosamente as regras litúrgicas. Todo católico deve, portanto, aprender a respeito do assunto e batalhar, com maturidade e placidez, para que os Santos Mistérios sejam celebrados segundo a liturgia determinada pela Igreja..
Assim poderemos “combater” alguns equívocos infelizmente frequentes em termos de liturgia. Lembrando que sem caridade é melhor não agir. Temos que agir com sabedoria e prudência porque o dano de uma correção feita sem caridade pode ser maior que o próprio abuso. Se o equívoco for feito pelo próprio sacerdote, deve-se conversar diretamente com ele, sem antecipar o assunto com outros fieis, o que seria um desrespeito ao ministro de Deus. É claro que nos casos mais graves (vide "Graviora delicta" na Redemptionis Sacramentum), o assunto poderá exigir uma comunicação ao bispo.
O Cardeal Burke disse que concorda com o Pe. Bux quando este diz que “abusos litúrgicos trazem sérios danos à fé dos católicos”.
O documento (R.S) considera que muitos dos abusos são frutos da “ignorância, mas também de “um falso conceito da liberdade”, pelo que são definidos como “atos arbitrários que comprometem a unidade do Rito Romano”.
Um erro freqüente: rezar orações que são próprias do sacerdote
Há orações que são próprias e exclusivas do sacerdote. No caso específico, rezam o "Por Cristo, com Cristo, em Cristo...", a doxologia com que o sacerdote encerra a oração eucarística (a parte central da missa). Só o padre pode pronunciá-la. Mesmo que o celebrante convide ("todos juntos!", etc.) os fieis deverão ficar em silêncio e responder, ao final, o solene "amém" (cf. IGMR 151).
Os leigos também não devem rezar a oração da paz ("Senhor Jesus Cristo, dissestes aos vossos apóstolos: Eu vos deixo a paz, Eu vos dou a minha paz..."). Só o sacerdote pronuncia essa oração.
Há que se distinguir os papéis do sacerdote e do leigo na missa: "Deve-se evitar o perigo de ofuscar a complementaridade entre a ação dos clérigos e dos leigos, para que as tarefas dos leigos não sofram uma espécie de clericalização, como se fala, enquanto os ministros sagrados assumem indevidamente o que é próprio da vida e das ações dos fieis leigos" (Redemptionis Sacramentum).
Comportamento inconveniente dos fieis
Conversas, barulhos, alvoroços, "show's", danças, palmas, namoro... NADA disso combina com a missa e devem ser reprovados por nós. (Durante a missa realizada na Catedral de São Pedro, no Vaticano, Roma, dia 29 de junho, comemorativa ao Dia de São Pedro, o Papa Bento XVI proibiu as palmas nas missas. Antes, em sua visita pastoral a Aquileia e Veneza, o pontífice já tinha determinado tal orientação para todos os fiéis da Igreja Católica Romana. São ordens curtas e, ao mesmo tempo, profundas. A tradução do comunicado do pontífice diz: “Em respeito destes divinos mistérios que estamos celebrando, recolhamo-nos em silêncio orante. Portanto, não se aplauda mais, nem sequer durante a homilia, e não se usem bandeiras, nem cartazes”). De verdade, haverá outros locais para a gente se alegrar, sorrir, conversar, dançar. Mas  não na Santa missa né?! Na missa, vale a "regra de ouro" (Silêncio). Refleta nisso:  “Deus não se comunica com a alma tagarela”. Santa Faustina
“O que não caberia fazer no Calvário, não cabe fazer na missa.”
Perguntaram um dia a Padre Pio: - Padre, como devemos assistir à Santa Missa? Ele respondeu: Como assistiram a Santíssima Virgem e as piedosas mulheres. Como assistiu S. João Evangelista ao Sacrifício Eucarístico e ao Sacrifício cruento da Cruz. Estamos diante do sacrifício do Filho de Deus! No altar, Jesus oferece-se ao Pai como vítima, por nossos pecados. Portanto, quero recordar que conversar com o vizinho, atender chamadas de celulares, acessar o facebook na hora da homilia, bater palmas ("imagina Cristo morrendo numa cruz e Maria Santíssima batendo Palmas com o discípulo amado"...) ou fazer coreografias, danças, etc., nada disso é próprio na missa. AHHHH...Outro erro GRAVE que não percebemos: Virar de costas pra Jesus Cristo que  estar sendo consagrado no Altar no momento da Paz (se esta for  no "meio" da Missa), Cuidado!!!

Abusos litúrgicos - Exemplos:
Trocar os textos litúrgicos - "Cesse a prática reprovável de que sacerdotes, ou diáconos, ou mesmo os fieis leigos, modificam e variam, a seu próprio arbítrio, aqui ou ali, os textos da sagrada Liturgia que eles pronunciam. Quando fazem isto, traz instabilidade à celebração da sagrada Liturgia e não raramente adulteram o sentido autêntico da Liturgia" (R.S., 59);
Convocar que os fieis acompanhem o sacerdote na Oração Eucarística - "A proclamação da Oração Eucarística, que por sua natureza, é, pois o cume de toda a celebração é própria e exclusiva do sacerdote, em virtude de sua mesma ordenação. Portanto, é um abuso fazer que algumas partes da Oração Eucarística sejam pronunciadas pelo diácono, por um ministro leigo, ou ainda por um só ou por todos os fieis juntos. A Oração Eucarística, portanto, deve ser pronunciada em sua totalidade, tão somente pelo Sacerdote" (R.S., 52);
Cruzar o rito da missa para intercalar orações não previstas - acrescentar orações, súplicas livres depois da consagração, etc.;
Conferir a homilia a leigos - a homilia poderá ser suprimida nas missas durante a semana, mas é de rigor nas dominicais e "será feita, normalmente, pelo mesmo sacerdote celebrante, ou este a delegará a outro, concelebrante, ou às vezes, de acordo com as circunstâncias, também ao diácono, mas nunca a um leigo" (R.S., 64). Também são práticas abusivas trocar a homilia por apresentações teatrais, testemunhos de particulares, etc.;
Empregar na homilia temas que não guardam relação com as leituras - "Ao fazer a homilia, procure-se iluminar, em Cristo, os acontecimentos da vida. Faça-se isto, sem dúvida, de tal modo que não se esvazie o sentido autêntico e genuíno da palavra de Deus, por exemplo, tratando só de política ou de temas profanos, ou tomando como fonte idéias que provêm de movimentos pseudo-religiosos de nossa época" (R.S., 67);
A relação acima é meramente exemplificativa, há muitos outros exemplos. Há que se ter em mente que "a ordenação da sagrada Liturgia é da competência exclusiva da autoridade eclesiástica; esta reside na Sé apostólica e, na medida em que determine a lei, no Bispo" (R.S., 14). Ninguém tem o direito de "mexer" na liturgia, mesmo que movido pelas melhores intenções.
Quero relembrar mais uma vez, que a leitura da Instrução Redemptionis Sacramentum é importantíssima e também a leitura da IGMR.
A distribuição da comunhão
Pode-se comungar de joelhos ou de pé. Quando se comunga de pé, recomenda-se fazer, antes de receber o Sacramento, a devida reverência (R.S., 90). Além disso, o fiel tem sempre o direito a escolher se deseja receber a sagrada Comunhão na boca ou se quer receber na mão o Sacramento. A forma tradicional de se comungar é diretamente na boca. Se preferir receber na mão, deve apresentar-se com as mãos abertas, sobrepostas, receptivas a receber a sagrada comunhão. Não é correto "pegar" a partícula como se fosse um objeto comum. (Quero chamar atenção pra grandes cuidados que devemos ter ao comungar na mão, pois além de nossas mãos serem sujas [“sujeira física e espiritual”], o cuidado pra não ficar nenhum pedacinho de Jesus em nossas mãos e correr o risco de deixá-lo cair, que por menor que seja a partícula é Cristo por inteiro. E a Sã Doutrina ensina que só o sacerdote é digno de tocar Jesus. Minha reflexão: São João Batista não era digno de desatar as sandálias Dele (Lc 3:16), imagina nós miseráveis o quanto somos tocar no Senhor? Sem falar que o nosso Santo e Amado Papa pedi a comunhão de joelhos e na boca.) De acordo com o IGMR e ao contrário do que se pensa hoje em dia, receber a comunhão na boca é a REGRA e receber na mão é a EXCEÇÃO. Lembro de II TIM 2:5 “Nenhum atleta será coroado, se não tiver lutado segundo as regras”.
Não esquecendo que isso é também "de acordo com as normas estabelecidas pela conferência episcopal", fiquemos atentos a isso. Quero deixar claro, que ninguém é maior ou menor pela forma como recebe a eucaristia.
Continuando: "Não está permitido que os fieis tomem a hóstia consagrada nem o cálice sagrado por si mesmos, nem muito menos que se passem entre si de mão em mão" (R.S., 94). Não se deve permitir que a distribuição da comunhão seja do tipo “self service”, de modo que cada um tome a hóstia com as próprias mãos na âmbula e ministre a si mesmo a comunhão. Se for o caso da comunhão sob as duas espécies, a comunhão será obrigatoriamente dada diretamente na boca do comungante. 
Depois de comungar, temos alguns preciosos minutos em que Nosso Senhor Jesus Cristo nos tem, poderíamos dizer... Abraçados. Perguntemos corajosamente: Senhor, que queres que eu faça? E estejamos abertos para ouvirmos a resposta. Quantos milagres e quantas curas acontecem nesse momento em que Deus está vivo e presente em nós! É a ação de Graças que muitos não o fazem. E pra quebrar esses nossos maus costumes, aprendamos com São Luis Maria Grignion de Montfort: “ Prefiro meia hora de ação de graças do que uma hora de Céu”. (No Céu só se pode contemplar, aqui podemos entrar em Comunhão com o Cordeiro Santo Vivo e Real.
(Foto perfeita!)
“Se você vai à Missa em um lugar e depois em outro, não encontrará a mesma Missa. Isso significa que aquela não é a Missa da Igreja Católica, a que o povo tem direito, mas apenas a Missa dessa paróquia ou daquele padre.” (Pe. Bux - Consultor da doutrina da fé e responsável pelas Liturgias Papais).


Vamos rezar???
Mãe do Céu e Minha Mãe, hoje vos peço a sabedoria e o entendimento para poder viver esse tesouro e mistério que é a Santa missa de todo meu coração. Que possa eu herdar de ti o teu profundo Amor à tão augusto sacrifício. Quebra todo conceito errado que tenho, herdei ou aprendi e ensina-me como Tu queiras, como posso melhor participar desse Mistério de Amor, para que eu possa assim genuinamente chegar ao teu filho. Amém
(Foto: Frei Paulo Maria, resgantando os Valores e Tradições que estão sendo perdidos.)

Cleven Nen

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Nova Era!? Eu participo!?

Quero começar deixando claro que é impossível você conhecer por completo a Nova Era nesse meu pequeno texto. Tenho a principal intenção hoje de abrir nossos olhos para o que muitos de nós talvez estejamos cegos. Talvez pior do que isso. Quem sabe estejamos “ajudando” essa "tal" Nova Era (New Age) se alastrar por aí. Mas...Vamos ao texto:
Se você acessar aí no site da Wikipedia e colocar Nova Era vai aparecer de forma bem Ofuscada teoricamente um pouco do que ela é, mas que já dá pra notar alguns pontos facetos dessa seita, como:
 - A “Era Cristã” é considerada, pelos adeptos da Nova Era, como a “Era de Peixes” (símbolo do zodíaco), porque, conforme a astrologia, as eras do zodíaco vão se sucedendo, durando cada uma em média 2.150 anos; atualmente, está terminando a de Peixes e deve começar, em breve, a Era de Aquários. Para os seguidores da Nova Era, a de Peixes é identificada como era cristã, visto que o peixe era, para os primeiros cristãos, um símbolo de Jesus Cristo e do "Salvador"... (“FIM do Cristianismo”)
- Toda a Humanidade, - na verdade toda a vida, tudo no Universo. - é espiritual e está ligado entre si. Tudo participa da mesma Energia. Deus é o nome para esta "energia".
- A morte não é o fim. Há vida em diferentes formas e dimensões. Uma vida depois da morte não existe nunca para nos punir, mas para nos ensinar pelos mecanismos da Reencarnação e eventualmente pelas experiências de Quase Morte.
- Todas as nossas relações vão ser repetidas até serem curadas, se necessário através de várias encarnações.
- Há um núcleo místico de sabedoria em todas as religiões Orientais e Ocidentais. O dogma e a identidade religiosa não são importantes, mas sim o conteúdo espiritual.
Pois bem, é fácil notar que a Nova Era quer acabar com a Divindade de Cristo. Quer mais um exemplo? A Filosofia da Nova Era nos ensina da seguinte forma:
Deus é tudo e tudo é Deus. Ex: árvore é Deus, animal é Deus, etc… 
A Nova Era é um movimento muito perigoso, por ser uma mistura de muitas crenças e filosofias diferentes e universais, que está implantando o império de Satanás, neste mundo, através de diversas maneiras: na música, no teatro, em muitos símbolos, nos desenhos, em diversos objetos, em muitas expressões, linguagens e gírias, em marcas de empresas, blusas, bandas de artistas e, de rock principalmente, novelas e filmes, e muitas religiões que estão ao seu serviço. Temos que tomar muito cuidado pra não estarmos por aí ajudando essa seita a fazer mais vitimas. Ela te afasta da Verdade que é a Única libertadora (Jo 8:32).
E isso não é exagero nenhum, repito nenhum!!!
Quero hoje te alertar sobre o avanço da Nova Era no mundo e infelizmente no meio Católico. Este avanço, disfarçado de "ecumenismo", nada tem haver com o verdadeiro objetivo, que é de uma aproximação com os nossos irmãos de outras religiões, visando uma união cristã. Estão misturando o Sagrado com o profano, levando os Católicos menos esclarecidos e desinformados a participarem da umbanda, candomblé, maçonaria, budismo, espiritismo, astrologia, esoterismo e dos mais variados movimentos ligados a Nova Era. Pasme-se com isso, mas é a mais pura verdade. Enfim, uma mistura de crenças, doutrinas e filosofias, que só levam aos católicos a se afastarem do caminho de Deus e a penetrar no caminho do mundo, cultuando a "deuses estranhos" sem se darem conta disso. Eiiii!!! Não caia nessa mentira “vestida” de verdade.
O pior disso tudo é que os católicos estão se acostumando com a idéia desta mistura diabólica, ou seja, que todos os caminhos levam a Deus. Isso é uma grande emboscada preparada pelo diabo, pai da mentira, conspirador e inimigo do Criador para nós. Estar bem claro nos Evangelhos, que há somente um caminho para se chegar a Deus, conforme disse o Rei Jesus: (Jo 14, 6). Não podemos ser cúmplices desse embuste!
Não estou falando pra você sair discutindo e destruindo com as outras religiões, porém respeitar os irmãos de outras religiões não significa cair no erro junto com eles, mas sim mostrar a grandeza espiritual e as fontes de graças encontrada somente na Santa Igreja Católica Apostólica Romana. Fora dela é como querer matar a sede com um copo vazio. Pois temos o mesmo Jesus Glorioso, Poderoso, Santo presente Vivo e Real nos Sacrários.  
E o plano infernal da Nova Era é tirar a Divindade de Jesus, reduzi-lo a um mero Jesus histórico, a mais um mestre espiritual, diante de tantos outros que "eles" adoram e veneram. (como Maomé, Buda, etc.)

                    *********ATENÇÃO**********  Agora é a hora do teste!

Pratica, usa, acretida em...
"Tarô, Yoga, Meditação, Mapa Astral, Astrologia (Signos), Gurus, Esoterismo, novas culturas, jogo de Búzios, pirâmides, cristais, numerologia, Gnose, Teosofia, Acupuntura, Homeopatia, Fitoterapia, Pacifismo, Rebieth, Channellins, Sincretismo, busca interior, livros de autoajuda, magia, predição, novo pensamento etc."
Se a resposta aí no coração foi positiva, rompa com isso AGORA irmão. Você não precisa disso. Você tem Jesus 24h por dia pra você (“Eis que estou convosco todos os dias, até o fim do mundo”. Mt 28:20), você  tem o verdadeiro Amor do seu lado, o Amor que deu a vida numa Cruz por você. Você quer saber de algo a seu respeito? A Bíblia nos diz em Daniel 2: 27-28 “Respondeu Daniel na presença do rei disse: O mistério que o rei exigiu, nem sábios, nem encantadores, nem magos, nem adivinhadores lhe podem revelar; mas há um Deus no céu, o qual revela os mistérios”. Acho que  isso Basta não é?!
Sei que infelizmente, o mundo estar adoentado, mas nós temos a cura! Porém os homens querem deixar o mundo sempre doente. A cura esta em Jesus, ELE é o eterno médico dos corações, e o remédio certo para curar tudo e todos. Porém, os homens vão à procura de diversos doutores (outras “religiões”), que lhe receitam uma infinidade de remédios, e como nunca acham a cura, continuam procurando. E a cura esta tão perto, ao alcance dos seus corações. Mas continuam misturando diversos remédios e “morrem” intoxicados por eles, devido a tantas misturas, quando bastaria uma só receita, seguir as Palavras do Eterno Médico dos Corações: JESUS e sua “Enfermeira” Nossa Mãe Maria Santíssima. Vamos lembrar-nos do que Ele nos disse?!
Eu sou o caminho, a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim. (Jo 14, 6)
Pra te deixar bem embasado cito o que nos trás um documento do Vaticano intitulado por “Jesus Água Viva”, que nos deixa que a Nova Era é IMCOMPATÍVEL com o Cristianismo. Ou seja, podemos afirmar que o Movimento da Nova Era é, de ponta a ponta, contrária à missiva cristã. Pois nega a transcendência de Deus, a distinção entre espírito e matéria, a existência do pecado, a divindade de Jesus Cristo, Deus feito homem. Por isso cai no relativismo religioso, fazendo da religião uma atitude sentimental e cega, e não a adesão à verdade. Não podemos nos permitir participar de algo assim! (A perda de identidade da religião vem a ser o fim da mesma. FATO!)

Por fim e não menos importante quero alertar sobre alguns Símbolos da Nova Era que estão em bastante uso no nosso habitual. (Lembrando que: Esses desenhos, muitas vezes, não tinham esses significados antes da utilização dos mesmos pela Nova Era.)

01 - ARCO-ÍRIS – Principal símbolo, pois indica que o homem precisa construir uma ponte da sua mente até o “cosmos”, chegando até “SCHAMBALÁ” (reino de lúcifer).
02 - FITA ENTRELAÇADA SEM FIM – Simboliza a união das forças cósmicas, perfeita, interrupta, união universal da política, da economia, da educação e da religião.
03 - UNICÓRNIO – Simboliza a liberação sexual, lesbianismo, homossexualidade, fornicacionismo, sexo grupal, a moda unissex, o movimento feminista (quando enfatiza as teses de Nova Era)
04 - CASAL TRANSPESSOAL – Simboliza o fim do casamento, representado pela letra Ômega. Os adeptos da seita dizem que o ser humano não deve pertencer a nenhuma família, mas deve ficar livre para buscar outros parceiros.
05 - CRUZ COM LAÇO – Simboliza o desprezo pela virgindade, pela pureza. Enfatiza a Pândega, a orgia, a prostituição, fornicação, o descompromisso nos relacionamentos (o “FICAR”).
06 - ESTRELA DE CINCO PONTAS – Representa o homem sendo Deus. Alguns conjuntos musicais já adotaram ou ainda adotam este símbolo para garantir o seu sucesso nas músicas “pop”, “Tecno-pop” ou “Heavy Metal”.
07 - CRUZ DE NERO – Uma cruz de cabeça para baixo, com os braços quebrados, ou o chamado “pé-de-galinha”, cujo significado é a paz sem Cristo. O círculo em volta representa o inferno. É o escárnio à Cruz de Cristo.
08 - BORBOLETA – Simboliza as transformações do mundo. É algo novo, deixado para trás. Pela “Metamorfose”, ou seja, o casulo e a lagarta, que representam a morte da era de peixes e a transformação completa dela para uma “nova era”.
09 - CHIFRE USADO – Usado para tirar mau-olhado. Usado em colares, pulseiras, brincos, etc. Simboliza o afastamento de fluídos negativos (mal olhado, olho gordo...).
10 - URANO – Simboliza a harmonia dos cosmos, adoração à deusa feminina Gaia, o amor à natureza, o que eles chamam de “lado feminino de Deus”. A Ecologia é o assunto comum em torno da qual as nações devem ser unir.
11 - PLUTÃO – Simboliza a “união planetária”, a construção de uma aldeia global, o novo nascimento do planeta Terra e uma união sem fronteiras, um só governo, acima de tudo e de todos.
12 - NETUNO – Simboliza as transformações das crenças. Nota-se a cruz virada para baixo – todas às crenças serão destruídas para que todo o planeta venha a ser governado por MAITREYA (novo “messias”).
13 - YIN YANG – Simboliza o equilíbrio. O Yin é o feminino, obscuro, passivo, envolvente, introvertido, sintético; o Yang é o masculino, o claro, ativo, criador, extrovertido, analítico. O homem será feliz se realizar em si mesmo esta lei natural: o equilíbrio entre o corpo e o seu espírito, é chamado a “paz interior”.
14  - ANARQUIA – Representa a abolição de toda a lei. O movimento prega a destruição de toda e qualquer organização que não queira se integrar ao novo sistema. Declara a anarquia do inferno a essas organizações que resistem à adesão universal.
15 - MÃO CHIFRADA – É o sinal dos ocultistas.
 “S” SATÂNICO – Representa o fim de toda vida regular.
16 - CRUZ SATÂNICA – É o sinal de interrogação invertido inserido na Cruz de Cristo. Representa a confusão.
17 - CABEÇA DE BODE – O “deus chifrudo”, maneira de zombar o Cristo como o Cordeiro que morreu pelos pecados da humanidade. É um símbolo de zombaria ao contrário ao cordeiro de Deus "Jesus".
19 - OLHO DE LÚCIFER – Representa o Diabo. Simboliza o olhar de satanás sobre as finanças do mundo. (ver nota de um dólar). Usado em roupas e outros meios. Simboliza o olho de satanás vendo tudo e chorando por aqueles que estão fora do seu alcance (judeus e cristãos principalmente).
20 - OLHO DE LÚCIFER - Este sinal é o símbolo da bandeira de Lúcifer. O círculo representa o planeta Terra como reino de satanás. O ponto são os homens, instrumentos a serviço deste reino.
21 - POMBA COM RAMO NO BICO – Representa a “paz” aquariana na esperança que acabe a era de peixes para dar início à nora era. No Cristianismo, símbolo da paz e do Espírito Santo. Na
"Nova Era", simboliza a paz, à qual tendem os aquarianos, na esperança de que as águas de "Peixes" sequem, para dar lugar às águas da "Nova Era". É uma paz que, segundo os adeptos da "Nova Era", bane as guerras, ideologias, exigências sociais, econômicas e sociais (!)
22 - PIRÂMIDE – Elemento que capta a energia cósmica e “beneficia” as pessoas, tem “efeitos maravilhosos”, está associada ao ocultismo.
24 - CRUZ SUÁSTICA – Significa o movimento cósmico. É bem conhecida a sua conotação com a pessoa de Adolf Hitler e seu movimento nazista que dizimou milhões de seres humanos na Segunda Guerra Mundial. A cruz suástica é inspiração de Chamberlain, um vidente satânico e conselheiro pessoal de Hitler. Foi ele que inspirou Hitler as idéias de um reino de terror e poder.
25 - ESTRELA DE DAVI – É usada pelo movimento Nova Era como símbolo da unificação da humanidade com as forças cósmicas. Indica a ascensão dos seres que tendem a se divinizar cada vez mais.
26 - RAIO – É o reconhecimento do poderio de satanás, senhor, Satã, e a disposição de estar a seu serviço.
27 - SOCIEDADE TEOSÓFICA - No alto, a cruz suástica, que simboliza o movimento cósmico; no centro a estrela de Davi, que representa os processos de involução e evolução; dentro da estrela a cruz com laço, símbolo de perversão sexual, contra a pureza sexual criada por Deus. E, em volta a serpente que representa Satanás.
28 - SÍMBOLO DA BESTA - Este número tem qualidades sagradas e por isso, deveria ser usada com maior freqüência possível para representar a Nova era, segundo os ensinamentos da Alice Bailey, suma-sacerdotiza da Sociedade Teosófica.
29 - CRUZ VIRADA PARA BAIXO – Usado por grupos de Rock e adeptos da Nova Era. Simboliza zombaria da cruz de Jesus. Usado também em rituais satânicos. A sua origem é do cristianismo, pois designava os discípulos do apóstolo Pedro.
30 - SS - Usado por grupos nazistas e grupos de Rock também em roupas, broches, tatuagens, etc. Simboliza o louvor e invocação de satanás.
31 - BESOURO - Símbolo que mostra que a pessoa que usa tem poder dentro do satanismo.
32 - LUA-ESTRELA – Usados em roupas, endereços, artes e também em centros espíritas. Simboliza poder para transportar através do cosmos.
33 - MANCHA LOUCA - Usada principalmente em automóveis. É uma gota de sangue em zombaria ao sangue redentor de Jesus. Esotericamente, o nome já diz tudo: "mancha louca". É conhecida também como mancha de sangue e o objetivo é vulgarizar o sangue purificador de Jesus, com a finalidade de torná-lo banal e sem nenhum valor como elemento remissor dos pecados da humanidade.
34 - ESTRELA DE DAVI EM CÍRCULO - É usada pelo movimento Nova Era como símbolo da unificação da humanidade com as forças cósmica.

Vamos Rezar???
Senhor Jesus que és meu Único Deus, peço que me ajude a caminhar a dizer Sim para Ti e Não as coisas que me afastam de Ti. Rezo hoje Senhor para que Tu possas ser minha Força, Caminho, Verdade e Confiança. Maria olhe por mim e me faças Constante como a Senhora fostes e ensina-me a entender a vontade do seu Filho. Amém


Não podemos ser infantis na fé, em pensar que elementos da Nova Era não são presentes na nossa igreja e no nosso dia-a-dia!

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

O Que é o Natal? "Papai Noel você existe de Verdade!?"

Da onde surgiu o Natal? O que é de verdade o Natal? Papai Noel existe mesmo?

Passado o dia de finados, a publicidade já começa a bater continuamente no Natal. As propagandas cada vez mais criativas ilustram um mundo perfeito a partir da aquisição de presentes para pessoas de todos os gostos. Todos estão cansados de saber que o Natal é muito mais lembrado pela maioria das pessoas como uma festa de confraternização, e não como a chegada do Messias esperado por Israel.
Neste contexto, a figura do Menino Jesus é trocada pela do Papai Noel, um velhinho sorridente e “bondoso”, com roupas vermelhas, botas e cinto preto, uma enorme barba branca e, claro, um enorme saco cheio de presentes. Nas grandes cidades não há um shopping sequer sem a presença deste personagem.
Mas como começou a história do Papai Noel afinal de contas? Conta a tradição da Igreja que um Bispo chamado Nicolau, epíscopo de Mira,- cidade que fica na atual Turquia - possuía muitos bens materiais. Mas ao mesmo tempo havia na cidade muitas pessoas pobres, que muitas vezes não tinham nem o que comer. Este grande homem, muito preocupado com seu rebanho, vendia sempre algo que era seu e comprava presentes para as criancinhas pobres. Mas como não queria dar a impressão de que usava a caridade para promover seu próprio nome, fazia tudo ás escondidas, tarde da noite.
Por ter sido tão amigo da infância, em sua festa se repartem doces e presente às crianças e como em alemão se chama "São Nikolaus", começaram-no a chamar "Santa Claus", sendo representado como um ancião vestido de vermelho, com uma barba muito branca, que ia de casa em casa repartindo presentes e doces às crianças. De São Nicolau escreveram muito belamente São João Crisóstomo e outros grandes Santos, mas sua biografia foi escrita pelo Arcebispo de Constantinopla, São Metodio.
Veja, este é o verdadeiro Papai Noel. Quando olhamos hoje o que o mundo fez com o nome e o legado deste santo talvez até fiquemos um tanto incompreensivos, mas o fato é que São Nicolau sempre pregou e praticou a caridade, ajudava os outros por amor a Deus, e o que acontece hoje em dia faz com se retire a figura do Menino Deus do primeiro plano no Natal.
E é sempre assim; Satanás manipula uma verdade, conta uma mentira embrulhada num pacote bonito para que percamos o foco em Cristo. Contudo, sempre existirão aqueles que mostram a verdade, e cabe a nós sermos verdadeiros discípulos e levar a verdade aos outros.


As crianças abandonados, diante dos perigos do mundo, também se refugiavam sob a proteção do bondoso bispo, e por isso o chamavam de Papai Noel, existem várias traduções para o seu nome, como vimos o “Santa Claus” acima, a versão que conhecemos em português vem da expressão francesa "Joyeux Noël”, que significa “Pai Natal”.
Este santo foi umas das primeiras pessoas a se preocuparem verdadeiramente com as criancinhas e suas mães. Conta-se também que certa vez, após a subida de Constantino ao poder, alguns líderes eclesiásticos não se comportavam de acordo com o cargo que ocupavam e isto fez Nicolau se exaltar um pouco, provocando assim a suspensão de suas funções na Igreja. Mais tarde, contudo, foi provada sua inocência. Também é conhecido por converter inúmeros hereges e até por conseguir a ressurreição de várias crianças.


Hoje podemos dividir hoje o Natal em 3 Tipos:

(1) Primeiramente, há o Natal Familiar. Tem cara de laços caseiros, particulares, restritos ao âmbito do parentesco. Nesta perspectiva, os festejos natalinos constituem um tempo privilegiado para costurar relações rompidas, refazer as amizades. A ceia pode ser um momento particularmente rico em arrependimentos, abraços, alegria e comemoração festiva. É claramente sinônimo de reconciliação, reencontro, renovação e recomeço… 
(2) Segundo tem o mais  famoso e vivido de todos: O Natal do Papai Noel. Com o passar do tempo, converteu-se no Natal do Consumo. O comércio e o consumismo entram em fase de ebulição. O trinômio “produção, comercialização e compra” impõe-se com uma grande força, as ruas, praças e corredores dos shoppings centers ganham uma alucinação sem precedentes. Torrentes de clientes por aí circulam sem parar. Nas vésperas da festa, as pessoas experimentam uma atmosfera de pressa, correria, uma verdadeira obsessão por adquirir novidades. Senão, onde colocar o décimo terceiro salário! Contribuem para isso o peso de marketing, da propaganda e da publicidade. Tanto entre as crianças quanto entre os adultos, respira-se um ar de que é preciso “comprar, ganhar”. O tempo é de gastar, comprar, divertir-se, festejar. Tudo, claro, abençoado pelo bom e simpático velhinho de barbas brancas e longas…
 (3) Mas há também o Natal do Menino Jesus, que é o mais raro. Embora um tanto quanto esquecido e envergonhado, em meio a essa abundância de cores e luzes, imagens e sons, mercadorias, brinquedos e cartões de crédito, o Menino segue sendo o protagonista central da festa. Verdade que anda meio relegado a um segundo plano, quando não inteiramente desaparecido. Não poucas crianças talvez se espantem com a figura do Menino, Maria e José. Alguns poderão nos surpreender com a pergunta “quem são esses”? Infelizmente está é uma realidade nos dias atuais... Mas de verdade, quantos realmente sabem ou comemoram o Aniversariante deste dia, JESUS?! 

Olha, eu sei que nas confraternizações familiares, nos desejos verdadeiros de Feliz Natal, na troca de presentes, o amor ensinado e vivido por Jesus pode e é experimentado. Sempre é experimentado no relacionamento humano. Mas não podemos esquecer-nos do Cristo que nasceu por nós e para nós. O Emanuel, o Deus conosco, já chegou. Prepare seu coração, Deus quer morar nele. O nascimento de Jesus deu novo significado ao nome Emanuel. O que foi profecia no Antigo Testamento, é realidade no Novo Testamento. Nós podemos nos alegrar porque Ele viveu entre nós, morreu por nós e enviou Seu Espírito para habitar em nós e ainda nos deu uma Doce Mãe para cuidar de nós. Ainda acrescento que o nascimento de Cristo é a demonstração máxima do amor de Deus por seu povo. Esse amor destrói barreiras, dá nova vida a corações endurecidos e nos chama para uma vida mais solidária em todos  os  sentidos. Não se esqueça do Senhor Jesus. Dê-lhe a honra que Ele merece. Deus veio morar conosco para que nós pudéssemos viver com Ele. Então faça desse Natal um recomeçar!!! (Ótima dica essa Viu!!!)

E fica aqui também um convite: Neste Natal procuremos dar um presente ao Menino Jesus. Vamos deixar de lado aquele velhinho com seu falso sorriso e lembrarmos-nos do verdadeiro bom velhinho: um bispo de Deus bondoso que praticava a caridade e protegia os menores (São Nicolau). Então, vamos seguir esse exemplo e o do Aniversariante e simplismente Amar...


Então pra finalizar Acrescento o que nosso Santo Papa nos diz: Queridos irmãos e irmãs, vivamos com alegria o Natal que se aproxima. Vivamos este evento maravilhoso: o Filho de Deus nasce ainda "hoje", Deus está realmente próximo a cada um de nós e quer nos encontrar, quer nos levar a Ele. Ele é a verdadeira luz que remove e dissolve as trevas que envolvem nossa vida e a vida da humanidade. Vivamos o Natal do Senhor contemplando o caminho do amor imenso de Deus que nos eleva a Ele por meio do Mistério da Encarnação, Paixão, Morte e Ressurreição de Seu Filho, pois – como afirma Santo Agostinho – “em [Cristo] a divindade do Unigênito participa da nossa mortalidade, a fim que nós possamos participar de Sua imortalidade” (Epistola 187,6,20: PL 33,839-840).  Sobretudo, contemplemos e vivamos este Mistério na celebração da Eucaristia, centro do Santo Natal; ali está presente de maneira real Jesus, verdadeiro Pão que desceu do Céu, verdadeiro Cordeiro sacrificado para nossa salvação.
Vamos Rezar???
Senhor Jesus, que nesse Natal você possa me ajudar a ser uma pessoa que viva e sinta o seu verdadeiro Amor. Pai me ajude a ter uma experiência como nunca tive de experimentar seu nascimento no meu viver e na minha família. Maria mãe de Jesus que também é minha mãe, ensina-me ser agradável a seu filho e a todos!
São Nicolau de Mira; rogai por nós!
A PAZ DE JESUS E O AMOR DE MARIA!!!
  FELIZ NATAL A TODOS!!!  CLEVEN NEN

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Radicalidade – Defeito ou Qualidade?

Fiquei pensando em como começar esse texto, mas percebi que seria meio que disfarçar a Verdade. Sabe por quê? O Evangelho é essencialmente radical. Basta lembrar que Jesus mandou amar os inimigos (Lc 6:35), mandou dar a outra face ao que nos açoitar (Lc 6:29), a renunciar pai, mãe, irmãos e até os filhos (Mt 10:29)! E o que é mais radical do que o Filho de Deus morrer na Cruz (Que era um sinal de maldição) como um sádico? Dizia São João Crisóstomo aos que tinham medo da radicalidade: “Por mais que tu faças, por mais que te humilhes, nunca farás o quanto fez o teu Senhor”.
Perante do Evangelho da Cruz, como temer a radicalidade como um mal, um desequilíbrio, uma espécie de fundamentalismo? Todavia, essa tem sido a justificativa para a cultura do
“mornismo” em muitos ambientes cristãos. Estamos cheios de piedades e devoções, boas intenções, gente que colabora dentro da Igreja, mas está faltando e está sendo apagada a radicalidade dos santos. Quer ser Santo? Quer uma dica?

A radicalidade é a receita para a santidade! Não temos como chegar a sermos santos se levarmos nossa vida “na mornidão, ou seja, no mais ou menos”. Já ouviu falar de algum Santo mais ou menos? Você segue a um Jesus mais ou menos? Porque eu não sigo!!!
Nosso Santo Papa Bento XVI vem chamar a nossa atenção para a radicalidade do Evangelho: “Na frente do relativismo e da mediocridade do nosso tempo, que, muitas vezes, torna-se o ‘eclipse de Deus’, ou ‘amnésia, senão uma rejeição ao Cristianismo e uma negação do tesouro da fé recebida, há a necessidade de uma ‘radicalidade evangélica, que “dá testemunho da consagração como pertença a Deus e a seu amor supremo.” “O radicalismo do Evangelho nos leva a permanecer ‘enraizados e fundamentados em Cristo, firmes na fé” (Cl 2.7). (*Ôôô Maravilhaaa!!!)
“A santidade está diretamente ligada à adesão da radicalidade, não tem como fugir disso não! Não viver as propostas que o mundo nos faz, contrárias à vida no Espírito, à vivência do cristianismo. É esta a proposta do Senhor: ‘Sede santos porque eu, o Senhor, sou Santo’. (Lev 11:44). Jesus não nos disse: Olha filho, não seja um ímpio, mas também não precisa ser santo: seja bonzinho, Ok!? Jamais, Ele nos chama a experimentar a graça de fazer a vontade d’Ele em tudo, não temendo ser julgados como “diferentes” ou então de “estranhos”, até porque nós verdadeiramente somos diferentes (Jesus é a nossa diferença) e “estranhos” (Somos cidadãos do Céu, não somos desse Planeta).
Muitas vezes quem quer seguir com radicalidade o Evangelho é taxado como chato, exagerado, que julga ou que não ama, e por aí vai. E uma frase que sempre dizem e que ouvi essa semana: Que ser radical é ruim, que temos é que amar.
Essa é uma das muitas meias verdades que rondam nossa Fé nos últimos tempos. Radicalidade é sinônimo de Amor, Amor é Verdade, e o Evangelho é Verdade, simples assim!  E é exatamente por ser verdade que o Evangelho é libertador. No entanto, precisa ser antes, conhecida como ela é, sem disfarces. Jesus é claro quanto a isso, disse: “conhecereis a verdade e a verdade vos libertará” (Jo 8:32). Ou seja, só a verdade liberta. O que é omisso, morno, mentira, disfarce, somente ilude e aprisiona (Amor sem verdade não é Amor!). O mundo alastra suas mentiras contrárias ao Evangelho por todos os meios possíveis: a mídia, a arte, a legislação, os lobbies, associações e organizações, outdoors, igrejas, teologias, pessoas (sem mesmo perceber), conversas e outros recursos sem fim. Faz conhecer sua mentira e a reveste de argumentos humanos lógicos, convenientes, convincentes, disfarçados, “amorosos” e de legalidade civil.
Olha, além de oferecer a Liberdade Verdadeira, o amor é essencialmente radical, pois é doação de si para o próximo e para Deus. Na doação desfaço-me do que é meu para dar ao outro e isso é radical. No amor meus direitos não são preservados na meia medida, mas são ofertados em favor do outro. Quando se ama é preciso estar preparado para ir até a radicalidade do perdão, da doação, da exortação e até mesmo da advertência, pois o amor pode pedir esses extremos em muitas situações (Cristo morreu por Amor). Seguir Cristo é assumir a lógica do amor: “há mais alegria em dar do que receber” (At 20,35). Então vamos oferecer o Céu ao próximo e a nós mesmos, que é a melhor coisa que podemos oferecer e receber. E lá é lugar pra quem persistir. Como sempre gosto de fazer vou pra dentro da bíblia, porque o Evangelho é radical, não existe meio termo pro Senhor, olha só:
II TIM 2:5 “Nenhum atleta será coroado, se não tiver lutado segundo as regras”.
Mt 5-37 “Seu sim seja sim e seu não seja não. O que passa disto vem do Maligno”.
Ap 3:15 “Mas, como és morno, nem frio nem quente, vou vomitar-te”.
I Jo 2:6 “aquele que afirma permanecer n’Ele deve também viver como Ele viveu”.
E os Santos??? Digo logo que NÃO EXISTE SANTIDADE SEM RADICALIDADE!!!
Vou começar com o maior exemplo humano de Santidade depois de Cristo: Maria! Meus caros, se Nossa Senhora vivesse entre nós hoje, certamente seria taxada de radical, exagerada, até louca por sua adesão a risca ao Evangelho e certamente como retrógada por não aderir com os modernismos atuais. Nossa Senhora não viveu para si e sim para Deus (CIC, 967-968). Assim, deve ser a vida do servo, ou seja, deve ter em mente que sua vida, sua pregação não é para agradar aos homens. Devíamos seguir o exemplo de São Paulo e dizer: “é assim que falamos, não para agradar aos homens, mas a Deus, que examina os nossos corações” (1Tss 2, 4). Áhhh meus irmãos, como a Igreja necessita dessa fé de estilo mariano! O ruim é que quando existe alguém assim é confundido e assentado como retrógrado, alienado ou fariseu.
"Se a radicalidade não fosse necessária, teria sido em vão a morte de Cruz." (St.Terezinha)
Se hoje está se tornando difícil seguir o Papa e a doutrina da igreja, imagina como não seriam “caçados” se vivessem hoje São Cura D’ars e São Padre Pio, pois como disse o postulador dos Franciscanos, que os elementos fundamentais para que eles chegassem a ser canonizados foram dois: “a fé com muita radicalidade e a obediência também radical”, com olhos fixos sempre na vontade de Senhor, sendo muitas vezes acusados, apontados, caluniados, julgados e mesmo assim combatiam o “modernismo”.
É impossivel falar de radicalidade em tão pouco espaço, porém cito algo essencial sobre a radicalidade e o mais importante não é o falar mas sim o VIVER, mesmo nas  dificuldades é confiar e com a ajuda do Senhor, deixar ser moldado por DEUS e para DEUS.
Acredito que vivemos um tempo que foi profetizado nas escrituras: “Porque virá tempo em que os homens já não suportarão a sã doutrina da salvação. Levados pelas próprias paixões e pelo prurido de escutar novidades, ajustarão mestres para si” (2Tm 4:3). Confio mesmo que esse tempo, em que a Verdade de Cristo é tão distante das pessoas, da cultura moderna, que os homens não suportam as exigências e radicalidades da Cruz é o de hoje. Então se vai a mil lugares procurar algo, uma doutrina, uma forma de cristianismo ou de religião, que se adapte mais à própria justiça, aos próprios padrões, aos próprios sonhos, à maneira própria de viver, ou pior às vezes querem minguar e adulterar o juízo real da palavra e da Igreja de Jesus.
Já dizia o Beato João Paulo II “A verdadeira doutrina é árdua, mas não engana”. Não nos enganemos, pois, como disse Bento XVI aos jovens, Jesus não nos tira nada do que é bom, verdadeiro e belo. O Evangelho é radical e o seguimento de Cristo nos insere nessa radicalidade, a radicalidade do amor, a única que nos faz radicalmente felizes e completos.
Para os consagrados e vocacionados, o Prefeito da Congregação para o Clero remarcou que “a única medida adequada, frente a nossa Santa vocação, é a radicalidade. Esta total dedicação, na consciência de nossa infidelidade, pode aparecer somente como uma renovada decisão em oração que, logo, Cristo realiza dia a dia”.
Todos já ouviram falar no PHN (Por Hoje Não vou mais pecar) não é mesmo? Pois é, PHN é um exemplo de radicalidade, que se alcança com decisão, perseverança, comunhão...
Eiii, vou te contar uma coisa. Se você quiser viver uma vida radical por Deus você será perseguido. Repito, é CERTEZA que você será perseguido. E muitos sabem disso, mas agem como se não soubessem. Você será perseguido em todos os aspectos, porque o nosso adversário tentará desviar-nos do nosso alvo em todo tempo. E algo que infelizmente pode acontecer é ser perseguido até mesmo dentro de Igreja! (Não pela Igreja, pois ela é Una, Santa).
Mas Cleven... Isso é bíblico?
II Timóteo 3:12 – De fato, todos os que desejam viver piedosamente em Cristo Jesus serão perseguidos.
Mas, não deixemos as perseguições tirem o seu alvo ou te desviem do foco. Poxa, pare só um pouquinho de olhar para o homem, e volte-se completa e inteiramente para Cristo, e você verá que estas aflições não se comparam com a glória que ainda há de ser revelada. “Tenho para mim que os sofrimentos da presente vida não têm proporção alguma com a glória futura que nos deve ser manifestada”. (Rm 8:18)
E agora umas palavras do Senhor pra nos confirmar e confortar:
“é necessário entrarmos no Reino de Deus por meio de muitas tribulações.” (Atos 14:22b)
“Bem-aventurados sereis quando vos caluniarem, quando vos perseguirem e disserem falsamente todo o mal contra vós por causa de mim. Alegrai-vos e exultai, porque será grande a vossa recompensa nos céus, pois assim perseguiram os profetas que vieram antes de vós.” (Mt 5:11-12)
E por ultimo, o versículo que particularmente mais acho lindo e direto:
“...é anunciada a Boa nova do reino de Deus, e todos se esforçam para entrar nele, com violência...” (Lc 16,16b).
Você notou a ultima palavra ali escrita? Com VIOLÊNCIA!
Todos são chamados a radicalidade em Jesus: é preciso se esforçar muito, lutar muito contra o pecado e “fazer violência” para entrar no Céu. Ele não é dado, ou conquistado sem esforço, mas com muita radicalidade na Fé. Se você hoje, independente de quanto tempo tem de caminhada ou de função na igreja, de “currículo espiritual”, está na mornidão, no mais ou menos, na acomodação vou repassar um conselho de São Padre Pio a você: "Reavive a sua fé na verdade da doutrina cristã."


Vamos rezar???

“Senhor Jesus, juntamente com sua Santa e Imaculada Mãe e Todos os Santos, peço que olhem por mim para que eu possa persistir em seguir com fervor e coragem a sua verdade, liberdade e amor. Faça-me a cada dia mais merecedor de ir morar no paraíso e te contemplar. Olha por mim Senhor e quando eu não tiver mais forças, quando for perseguido só te peço que me ajude”. Amém

A Paz de Jesus e o Amor de Maria!!!                                          Cleven Nen